D. Pedro IV

D. Pedro IV

Procure outros sítios curiosos


Search WWW Search passadocurioso.blogspot.com

segunda-feira, março 06, 2006

Levados, levados sim


Criada a 19 de Maio de 1936, a Mocidade Portuguesa, uma organização juvenil, procurava desenvolver o culto do chefe e o espírito militar ao Serviço do Estado Novo. A ela deveriam pertencer jovens, que estariam divididos em quatro escalões etários: os lusitos - dos 7 aos 10 anos -os infantes - dos 10 aos 14 anos - os vanguardistas - dos 14 aos 17 anos - e os cadetes - dos 17 aos 25 anos. Nesta área masculina, o desporto era fundamental.
Em Dezembro de 1937 formou-se então a Mocidade Portuguesa Feminina, na qual os objectivos eram formar raparigas para serem boas mulheres, boas católicas, boas mães e esposas obedientes.
O uniforme era composto por camisa de cor verde, com distintivo sobre o lado esquerdo, calção caqui ou calça comprida de cor bege, colhida por botins pretos, e dólman castanho-claro. Fazia parte da farda o cinto regulamentar com a fivela em forma de «s», que, alegadamente, queria dizer «servir», mas que também podia ser interpretado como referência a Salazar.
Foi a partir de 1971 que a Mocidade Portuguesa foi perdendo importância, sendo extinta após o 25 de Abril de 1974.

Hino da Mocidade:

Lá vamos, cantando e rindo
Levados, levados, sim
Pela voz de som tremendo das tubas,
- clamor sem fim
Lá vamos, (que o sonho é lindo!)
Torres e torres erguendo,
Rasgões, clareiras, abrindo!
- Alva da Luz imortal,
Roxas névoas despedaça
Doira o céu de Portugal!
Querer! Querer! E lá vamos!
- Tronco em flor, estende os ramos
À mocidade que passa!



Curiosidade da autoria de Mariana Pires, 9ºA
Fonte:http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Mocidade_Portuguesa&oldid=1304946title=Mocidade_Portuguesa&oldid=1304946

1 comentário:

disse...

Ora aqui está uma bela ideia, sim senhora!! Investir nas curiosidades, porque o resto já não é assim muito original, e investir também na curiosidade dos mais novos pelo passado; eles que vão ser o futuro (curioso, certamente).

Beijocas,
Nádia Torquato